O vereador por Maceió Silvânio Barbosa (MDB) foi encontrado morto dentro do apartamento em que morava no bairro do Benedito Bentes, parte alta da capital, neste sábado (8). A informação foi confirmada pela assessoria da Câmara de Vereadores e pela Polícia Militar.

A PM disse que o corpo tinha marcas de perfurações e que o carro dele foi roubado. O corpo do vereador foi encontrado nu, com um travesseiro na cabeça. O apartamento, localizado no Residencial Central Park, está revirado e com manchas de sangue.

Ainda não há informações sobre quem pode ter cometido o crime ou a motivação.

“Recebemos o chamado do assessor do vereador, que disse que não conseguia contato com ele há dois dias, o que não era comum. Ele tinha uma chave e entrou, e viu o vereador morto. Chegamos aqui e o Samu [Serviço de Atendimento Móvel de Urgência] constatou a morte”, disse o sub-tenente Heleno, supervisor do 5° Batalhão da PM.

Não se sabe ainda se ele foi morto nesta madrugada ou há mais dias. Os vizinhos disseram que não o viam desde a última quinta. “A última vez que o vi foi há dois dias, por volta das 9h15. Ele estava bem, feliz conversando. O apartamento dele também era bem movimentado, principalmente aos finais de semana”, relata o vizinho Jefferson Marinho Viana, fiscal da Vigilância Sanitária.

O Instituto de Medicina Legal (IML) e o Instituto de Criminalística (IC) foram acionados para o local.

Carro do IML é acionado para recolher corpo do vereador Silvânio Barbosa, em Maceió (Foto: Derek Gustavo/G1)Carro do IML é acionado para recolher corpo do vereador Silvânio Barbosa, em Maceió (Foto: Derek Gustavo/G1)

Carro do IML é acionado para recolher corpo do vereador Silvânio Barbosa, em Maceió (Foto: Derek Gustavo/G1)

Por meio de nota, a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP-AL) informou que o Delegado-Geral da Polícia Civil, Paulo Cerqueira, designou os delegados Fábio Costa, da Divisão Especial de Investigações e Capturas (Deic), e o delegado Eduardo Mero, coordenador da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), para investigarem o caso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here